Sobre como PEDALAR com segurança

Presenciar acidentes nunca é legal. Principalmente quando envolvem CICLISTAS. Parece que o homem em uma bicicleta se torna um ser tão vulnerável quanto um simples pedestre, não é verdade?

Enquanto eu andava pela calçada, com todo o cuidado do mundo [rs], um ciclista decidiu cruzar a rua, mão única, de duas pistas, passando pela frente de um caminhão que estava parado. Não sei se não olhou muito bem antes de fazer essa “super” manobra, mas não viu que um carro vinha em alta velocidade exatamente em sua direção. Sim, o carro pegou o ciclista, mas nada de muito grave aconteceu. O pneu do carro estourou, a bicicleta também ficou estourada e o homem da bicicleta sofreu alguns arranhões.

Isso me fez pensar a respeito da minha decisão de colocar minha bike pra pedalar novamente. Faz muito tempo que ando de bicicleta e já nem sei mais onde posso fazê-lo. Acho que parques e locais apropriados são os mais indicados. Tenho um medo enorme de pensar em usar a bicicleta como meio de transporte e ter que enfrentar automóveis, caminhões e motociclistas, porque a verdade é que ninguém tem respeito por ninguém, salvo algumas exceções.

Decidi partilhar o dilema usando um texto muito bacana que achei aqui na internet. Além de falar sobre alguns tabus nos quais a bike está envolvida, dá dicas de como ser um ciclista nesse mundão de Deus 🙂

Espero que aproveitem!

PEDALAR NO TRÂNSITO

Trânsito: carros e mais carros, ônibus, motociclistas apressados, pedestres.
E nós, ciclistas. Como é que a gente faz?

Pedalar no trânsito parece impossível para muitos, principalmente para quem mora em cidade grande. Será mesmo? Se isto é verdade, por que tem aumentado o número de ciclistas nas ruas?

O ciclista enfrentando o trânsito.

O que é verdade ou imaginação sobre segurança no trânsito?

Segurança no trânsito é estabelecida a partir de números, estatísticas, encontrados através de pesquisas realizadas com base científica, que dizem de fato o que é seguro, perigoso ou inseguro para o condutor de um veículo, pedestre ou qualquer outro que esteja participando do trânsito. O resto é imaginação (ou ficção) popular, e esta sim, costuma ser perigosa.

Normalmente, quando acontece um acidente a história corre de boca em boca, e em pouco tempo parecerá que houve um acidente em cada esquina e a cada minuto. Há um certo prazer em contar e ouvir histórias deste tipo. Mesmo depois de muito tempo, um acidente sempre é uma conversa interessante. O que foi um tombo causado por um susto acaba se transformando num coitado sob as rodas de um ônibus.
É como no caso dos aviões: há em média 2 (sim, dois!) acidentes para cada milhão de decolagens, o que transforma o avião no meio de transporte mais seguro existente. Mesmo assim só se fala nos que se esborracharam. Detalhe: nestes dois raríssimos acidentes não necessariamente houve morte, nem um arranhão sequer (o avião apenas pousou de barriga).

A imensa maioria dos ciclistas pedala sem sofrer acidentes de trânsito! Mas, bom mesmo é quando há sangue na conversa.
O fato é que as pessoas se apegam a certas verdades muito mais para evitar a possibilidade de mudanças em suas vidas do que para qualquer outra coisa. “Vai que pedalar é muito mais seguro que imagino, eu vou ter que assumir que estava errado todo este tempo”.

O que é novo é estranho e traz receios. Para quem pedala pela primeira vez no trânsito a situação pode parecer assustadora. Só nos conscientizamos que a maioria dos perigos são imaginários com a convivência, a prática.

Trânsito é previsível, tem lógica, responde à física. Há uma parte psicológica? Sim, mas esta também é previsível.
Todo acidente é causado por um erro, uma falha. Se não houver erro ou falhas, não haverá acidente. É óbvio, parece uma afirmação besta, idiota, mas não é, muito pelo contrário. Quem compreende esta verdade, entende o que é segurança no trânsito e praticamente zera a possibilidade de um acidente.

Antes de culpar o outro, descubra qual é seu erro e você descobrirá a solução para o conflito.

Para o ciclista em qualquer lugar:

1. seja educado

2. obedeça as leis de trânsito

3. sempre sinalize suas intenções

4. use roupas claras ou chamativas

5. mantenha os refletores limpos

6. evite ruas e avenidas movimentadas

7. mantenha-se à direita e na mão de direção

8. não faça zig-zag: procure pedalar mantendo uma linha reta

9. aprenda a ouvir o trânsito
Se o ciclista seguir umas poucas regras básicas o risco de acidente cai praticamente a zero. Sempre haverá possibilidade de alguma tensão ou conflito, mas será bem mais difícil a ocorrência de um acidente.

O importante é você entender que, enquanto pedala e conduz a bicicleta, você é um ciclista, e não um motorista ou motociclista. Bicicleta acelera, mantém a velocidade e desacelera de uma maneira completamente diferente de qualquer veículo motorizado. Por causa disto a relação do ciclista com o trânsito tem suas particularidades que tem ser respeitadas.

Mais da metade dos acidentes de trânsito envolvendo ciclistas são responsabilidade do próprio ciclista.

Acredite no que a prática de mais de 100 anos diz. Segurança no trânsito, de verdade, é construída a partir da experiência, que vira estatísticas, o que permite construir uma ciência, que acaba mostrando o que é de fato seguro ou não. Isto vale para os condutores de todos veículos, incluindo o ciclista. Lendo documentos oficiais e de especialistas, do mundo inteiro, é possível afirmar sobre a segurança no trânsito do ciclista que:

1. A maioria dos acidentes é causada pelo próprio ciclista. Quase todos acidentes tem responsabilidade direta ou indireta do próprio condutor; por distração, desrespeito a sinalização, falha mecânica, erro de cálculo, falta de bom senso…

2. Praticamente todos acidentes envolvendo ciclistas acontecem em cruzamentos e esquinas. Colisão lateral é uma das principais causas de mortes de ciclistas.

3. Colisão por trás é fato raro. Aumenta quando o ciclista pedala em avenidas, vias expressas e estradas.

4. Pedalar na contra-mão é a situação mais perigosa para o ciclista e em caso de acidente normalmente acaba em sequelas graves, irreversíveis, ou morte.

5. Ciclista que veste roupas claras ou chamativas e sinaliza suas intenções, diminui sensivelmente a possibilidade de acidente.

6. Boa parte dos acidentes são causados por falha na manutenção da bicicleta.

7. Pedalar completamente relaxado acreditando que ciclovias e ciclofaixas são completamente seguras é causa de vários acidentes. O número de colisões entre ciclistas é significativo.

8. Atropelamento de pedestres por bicicletas é fato comum, principalmente quando o pedestre cruza a rua, ciclovia ou ciclofaixa. Normalmente causa lesões, até graves, para os dois, pedestre e ciclista.

Fonte: http://www.escoladebicicleta.com.br/notransito.html

Boa pedalada!

Anna Motzko

Anúncios

Comentaí :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s