Brasil perde Oscar Niemeyer, aos 104 anos.

E o Brasil perde um brasileiro-exemplo: lutador, de grandes idéias. Deixa muitos familiares e uma grande história.

O Portal G1 divulgou uma matéria que, na minha opinião, deve ser lida e compartilhada. Muito mais emocionante que noticiar uma morte é noticiar uma vida de tantos feitos.

Fiquem com a história desse homem, descrita pelos brasileiros que todo mundo conhece…

VEJA REPERCUSSÃO DA MORTE DE OSCAR NIEMEYER

Portal G1, 05/12/2012

O arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer morreu na noite desta quarta-feira (5) no Rio de Janeiro, após mais de um mês de internação. Ele estava desde o dia 2 de novembro no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, onde foi submetido a tratamento de hemodiálise e fisioterapia respiratória. Niemeyer era casado com Vera Lúcia Cabreira.

151210_NIEMEYER5

Veja abaixo a repercussão:

Presidente Dilma Rousseff – “A gente tem que sonhar, senão as coisas não acontecem, dizia Oscar Niemeyer, o grande brasileiro que perdemos hoje. E poucos sonharam tão intensamente e fizeram tantas coisas acontecer como ele. A sua história não cabe nas pranchetas. Niemeyer foi um revolucionário, o mentor de uma nova arquitetura, bonita, lógica e, como ele mesmo definia, inventiva. Da sinuosidade da curva, Niemeyer desenhou casas, palácios e cidades. Das injustiças do mundo, ele sonhou uma sociedade igualitária. Minha posição diante do mundo é de invariável revolta, dizia Niemeyer. Uma revolta que inspira a todos que o conheceram. Carioca, Niemeyer foi, com Lúcio Costa, o autor intelectual de Brasília, a capital que mudou o eixo do Brasil para o interior. Nacionalista, tornou-se o mais cosmopolita dos brasileiros, com projetos presentes por todo o país, nos Estados Unidos, França, Alemanha, Argélia, Itália e Israel, entre outros países. Autodeclarado pessimista, era um símbolo da esperança. O Brasil perdeu hoje um dos seus gênios. É dia de chorar sua morte. É dia de saudar sua vida.”

Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia, em nota divulgada pelo Instituto Lula – “Juntamo-nos a todo o Brasil no luto pela morte do arquiteto Oscar Niemeyer. Ele se vai, mas ficará sempre entre nós, presente nas linhas dos edifícios que plantou no Brasil e em todo o mundo. A monumental Brasília, onde deixou a marca de sua arte e concentrou seus sonhos de uma cidade que pudesse abrigar com carinho e conforto pobres e ricos, homens comuns e poderosos, será sempre a expressão máxima de sua genialidade e de sua generosidade.”

Geraldo Alckmin, governador de São Paulo, via Twitter – Recebemos com tristeza a notícia da morte do arquiteto Oscar Niemeyer. Perdemos o homem que projetou o Brasil no mundo e desenhou as linhas do modernismo brasileiro. Nossos sentimentos à família e aos amigos.”

Sérgio Cabral, governador do Rio de Janeiro – “Oscar Niemeyer foi o maior arquiteto do Brasil. Um gênio da arquitetura mundial. Doce no trato, firme nas suas convicções e amado pelo povo brasileiro.” Cabral decretou luto de três dias no estado.

Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro – “Um dos maiores gênios que o Brasil deu ao mundo, Oscar Niemeyer foi mais do que um arquiteto brilhante e inovador que desafiou a lógica e contorceu as formas para criar verdadeiras obras de arte. Ele construiu marcos e deixou a sua marca na paisagem e na história de nosso país. Carioca, ele tinha com o Rio de Janeiro uma relação especial -Niemeyer deu à Cidade Maravilhosa o templo da folia, onde a maior de todas as festas acontece. Como prefeito do Rio, apaixonado por Carnaval e admirador do trabalho de Niemeyer, sinto-me honrado por a cidade ter concluído o projeto original do Sambódromo e, com isso, ter podido realizar o que o próprio mestre chamou de um sonho antigo. O Brasil e o mundo perderam hoje um homem que dedicou toda a sua vida a produzir beleza. Mas o que ele criou ficará entre nós como a lembrança de um grande carioca que fez a diferença”. Paes decretou luto de três dias na cidade.

Agnelo Queiroz, governador do Distrito Federal –”Brasília chora por Niemeyer o mesmo choro sentido e saudoso dos órfãos. Pois é assim, filha, que a cidade sempre se sentiu em relação a Oscar. Nosso espírito urbano é tão forte e peculiar quanto as curvas que domam o concreto e se vestem do céu azul do cerrado, moldando a nossa paragem à imagem e semelhança do nosso grande e maior gênio arquitetônico. Muito por mérito dele, nós, brasilienses, temos a graça de habitar uma cidade-monumento patrimônio cultural da humanidade.”

Antonio Anastasia, governador de Minas Gerais – “Por oito décadas o gênio de Oscar Niemeyer se pôs a trabalho da arquitetura mundial. De sua pena e seu traço surgiram maravilhas que encantam o mundo. Minas Gerais teve a felicidade de abrigar importante acervo arquitetônico assinado pelo espírito inovador desse grande arquiteto, cuja obra, como ultrapassou fronteiras, certamente, transporá o tempo. O mundo perde um grande pensador, mas suas ideias e ideais permanecerão.”

Aécio Neves, senador – “Não há outras palavras para defini-lo: Niemeyer era simplesmente genial, talento puro, ousadia e inquietude e também inspiração permanente. No seu trabalho encontramos uma densa brasilidade, expressa pelo movimento, pelas curvas e a fortíssima presença do inédito, do inusitado em contraponto aos padrões e ao óbvio. A sua obra tem o exato tamanho do autor, que teve uma trajetória exemplar, sempre coerente com suas idéeas e convicções. Sempre ao lado do Brasil e dos brasileiros.”

José Sarney, presidente do Senado – “Tive o privilégio de conviver com Oscar Niemeyer. Presidente da República, chamei-o de volta a Brasília, onde recriamos o Conselho de Arquitetura e Urbanismo, e fizemos várias obras. Se a arte brasileira tem seu reconhecimento internacional, é na extraordinária presença que Oscar Niemeyer deixa no mundo inteiro, com o seu gênio e sua capacidade de invenção e de reinvenção a qualquer tempo.”

Marta Suplicy, ministra da Cultura – “O Brasil acaba de perder um dos seus grandes. A genialidade de seus traços, a generosidade de sua alma e a firmeza de suas convicções fazem de Oscar Niemeyer um exemplo para a humanidade. Meu coração chora ao se despedir de um gigante na arte, poesia e coragem. Um homem que viveu na plenitude cada minuto de sua vida, com lado e posição e busca da beleza, da harmonia e justiça. A cidade de São Paulo deve a ele o seu mais bonito parque: o Ibirapuera. E, o mundo, a sua grandeza.”

Ricardo Ohtake, arquiteto – “Eu acho que ele é um caso único no mundo. O amigo dele Darcy Ribeiro dizia que no século 30 o único brasileiro a ser lembrado será Oscar Niemeyer. É um arquitetura única no Brasil, realmente ele é uma grande referência para todos nós. Teve uma vida muito rica, com uma generosidade muito grande, tinha muitos amigos. Eu acho que o fato dele trabalhar arduamente até morrer -ele só parava quando era internado no hospital, o que o deixada muito magoado- mostra que realmente ele tinha espírito de artista. Com a sua morte, dá a impressão de que o país ficou menor.”

George de Albuquerque Tajara, pároco da Catedral Metropolitana de Brasília – “É com muita tristeza que recebo a notícia. Vamos elevar as orações e as missas em favor de sua alma. É um homem que de fato dedicou toda a sua vida para nossa capital com os seus projetos, em especial pela Catedral, que expressa todo o nosso sentido de fé e de amor a Deus. Ele conseguiu através da arquitetura expressar isso para nossa vida e para a comunidade católica.”

Dom Orani Tempesta, arcebispo do Rio – “Um homem de convicções claras que serviu ao seu país com os dons que tinha. Deixou marcas na arquitetura mundial. Colocou seu gênio criativo a serviço do belo, também na construção de templos. Um exemplo de respeito pelo pluralismo. Rezarei para que encontre a fonte da beleza que o ilumine. Paz!”

Chico Buarque – “Oscar Niemeyer teve uma vida muito bonita. Foi um dos maiores artistas do seu tempo e um homem maior que a sua arte.”

Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) – “Suas criações originais, unindo arquitetura e poesia, expressaram os limites elevados da genialidade brasileira e ajudaram a projetar o nome do Brasil no exterior”.

Márcio Lacerda, prefeito reeleito de Belo Horizonte – “Dono de uma personalidade criativa e cativante, marcou a arquitetura brasileira do século XX, da qual é, certamente, o maior representante. Surpreendeu o mundo com as linhas curvas e ousadas dos seus projetos. Como prefeito de Belo Horizonte, só posso dizer, e afirmo com certeza, que todos os belo-horizontinos sentem-se muito honrados com o fato da nossa capital ter sido o berço do trabalho de Oscar Niemeyer, com o Conjunto Arquitetônico da Pampulha, que registra as curvas do seu estilo inconfundível.”

Jorge Roberto Silveira, prefeito de Niterói – “O Brasil perdeu o maior gênio que o país produziu em 512 anos. O destino nos beneficiou nos tornando contemporâneos de Oscar Niemeyer. Niterói é uma cidade que deve muito a ele. Ele a adotou, fazendo dela a sede de seu legado. A Fundação Oscar Niemeyer está pronta e inaugurada por ele para ser o referencial de sua obra”.

Fernando Mineiro, deputado estadual – “O eterno Oscar Niemeyer se encantou. As duas obras de Niemeyer em Natal estão abandonadas: o Presépio de Natal (estadual) e o Parque da Cidade (municipal). Se não me engano o arco do início da BR-101 (em Touros) é tb de Niemeyer. Com Niemeyer no céu o ditado agora é: Deus escreve certo por linhas curvas. Obras de Niemeyer no RN: o marco do início da BR-101 (1998-Touros) e os abandonados Presépio (2006-Candelária) e Parque da Cidade (2008)

Flávio Correia, presidente de Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do DF – “O Niemeyer é um nome que fica na história de Brasília. A história da cidade está ligada ao nome dele, é de uma importância muito grande. Todas as principais obras de Brasília, famosas mundialmente, passaram pelo simples risco dele. O Juscelino acertou em chamá-lo para fazer a parte arquitetônica. Ele deixa um legado muito grande. Um espírito de vida muito forte, muito lúcido até os últimos momentos. É uma tristeza muito grande para Brasília. Amanhã a cidade fica de luto.”

Paulo Henrique Paranhos, presidente da seção do Instituto de Arquitetos do Brasil no DF –“Há poucos dias ouvi uma frase que me agradou bastante: Oscar jamais morrerá. Não é nenhum exagero para nós, que somos amantes da arquitetura. Foi um dos grandes homens que fizeram a história que interessa a este país.”

Gustavo Penna, arquiteto – “A obra de Niemeyer é simples e pura, como pede o Brasil (…) No mundo inteiro você influência de Oscar Niemeyer, um convite à invenção, à curva (…) Quem é arquiteto e viaja pelo mundo encontra admiradores de Niemeyer em qualquer lugar.”

Marco Maia (PT-RS), presidente da Câmara dos Deputados –“O Brasil perde mais do um arquiteto de grandes obras. Morre o arquiteto de sonhos. Sonhos que se concretizaram em pura beleza, símbolos que expressam a essência da cultura brasileira.”

Pedro Tadei, arquiteto – “Eu acho que o trabalho do Niemeyer tem a cara do nosso povo, da nossa terra, carrega também o espírito, a aspiração à igualdade e à liberdade.”

ACM Neto, via Twitter – “O Brasil se despede do grande homem da arquitetura. Niemeyerdesenhou o coração do país com as mãos e com a alma.”

Luis Favre – “Niemeyer: é preciso não desistir dos ideais, pelas mudanças políticas e sociais. Por isso, temos ainda um longo tempo de luta pela frente”

Ricardo Ferraço, senador – “Ah, Niemeyer certamente irá encher o céu de curvas. Seu talento está eternizado. Fica o nosso muito obrigado.”

Chico Alencar, deputado federal (PSOL – RJ), via Twitter – “Nos sonhos de #Niemeyer e Lúcio Costa, os amplos espaços de Brasília, em especial da Esplanada, deviam ser ocupados pelo povo em marcha.

Marcelo Tas, apresentador – “Niemeyer é moderno demais para choradeira. Não morreu, foi um upload. #UpNiemeyer”

Luciano Huck, via Twitter –“E a linha do infinito pode vir a ganhar suaves curvas. #Niemeyer”

Ana Maria Braga, via Twitter – “Niemeyer partiu projetando sonhos no céu. Fica a genialidade e a saudade dos traços.”

Romário – “Niemeyer nos deixou hoje, imagino que com muitos projetos ainda por executar. Pensando dessa forma, sua partida foi precoce.”

Fernando Francischini, deputado federal – “Adeus, Niemeyer. 104 anos de muita vida e bela obra, já pode descansar em paz. Boa noite, amigos!”

José de Abreu, ator – “Na casa de um industrial paulista feita pelo Niemeyer onde escondíamos perseguidos pela ditadura não havia portas, eram tipos de paineis. As salas imensas e os quartos pequenos, a vida era no coletivo. Os quartos apenas para dormir. Construída no início dos 60.”

Rodrigo Neves, prefeito eleito de Niterói – “A perda de Niemeyer é uma perda para o mundo, para o Brasil e para Niterói, mas sua genialidade ficará perpetuada em suas obras. E como niteroiense tenho muito orgulho de saber que nossa cidade é a que possui o segundo maior acervo de obras deste espetacular artista. Solidarizo-me com a família neste momento de dor.”

Preta Gil, via Twitter– “Descanse em paz, gênio Niemeyer, orgulho do nosso Brasil!!!”

Ophir Cavalcanti, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) –“O Brasil perde um de seus mais ilustres brasileiros. Niemeyer deixa um exemplo, não só de competência técnica, mas o de pensar o Brasil do futuro ao desenhar Brasília. Nos deixa um legado de luta pela vida e de luta pelos ideais. Sempre foi um comunista e nunca negou sua opção política, inclusive nos momentos em que o Brasil viveu em uma ditadura. Exemplos como esse são um paradigma para toda a sociedade.”

Ricardo Coutinho, governador da Paraíba – “Grande Oscar Niemeyer, que conseguiu eternizar as curvas da sua arquitetura e transformá-la num patrimonio da humanidade. Artista e cidadão. Eu olhava a Ponta do Cabo Branco e sabia que so podia revitalizá-la com algo que falasse com o mundo e das maos de um genio. Nao podia dar outra coisa. Procurei Niemeyer e dai surgiu a Estaçao Cabo Branco – Ciencia, Cultura e Artes. Para sempre.”

Nilson Martorelli, presidente da Novacap –“A Novacap e Brasília estão de luto. Niemeyer foi um homem inigualável, muito à frente do nosso tempo. Ele nos ensinou por meio de seus traços e da sua vitalidade que é possível sonhar, construir e, sobretudo, fazer que um simples traçado se torne realidade. Essa realidade é Brasília, que hoje abriga 2,5 milhões de pessoas.”

Luzia Ferreira, deputada estadual, via Twitter – “Camarada Niemeyer, siga em paz. Você sera sempre lembrado pela genialidade de sua obra e pela coerência duas idéias. Comunista desde sempre”

Angelo Oswaldo de Araújo Santos, prefeito de Ouro Preto e ex-presidente do Instituto Nacional do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – “Assim como Aleijadinho foi grande arquiteto do período colonial, pela inventividade, Niemeyer deixa o maior patrimônio do século XX. O momento em que é revelada a genialidade é a Pampulha, e Brasília é o coroamento de Oscar Niemeyer.”

Roberto D’Ávila, jornalista – “O brasil todo está triste (…) Os grandes gênios viveram muito tempo, como Picasso e Miró, mas ninguém chegou aos 104 anos trabalhando. (…) Ele deixou uma grande escola, mas a arquitetura dele não é repetível. Era um homem extraordinário. Ele se precoupava com a questão humana de tudo, ele tinha uma bondade incrível.”

Sydnei Menezes, presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro – “A gente podia falar sobre a obra, sobre a relevância do Oscar Niemeyer, sobre o processo de demonstração do mundo da qualidade da arquitetura brasileira. Mas nós do conselho queremos destacar que ele foi um dos líderes que lutaram pela autonomia da profissão, que lutaram pelo criação do conselho próprio, numa luta de mais de 50 anos. O mestre Oscar era um dos arquitetos engajados nessa luta. E conseguimos em 2010 a aprovação do projeto de criação do conselho no Congresso Nacional, que o Lula sancionou no último dia de governo. O Oscar Niemeyer fez uma carta que foi distribuída a todos os congressistas carregada de emoção, daquele que sempre foi apaixonado pela arquitetura. A carteira do Oscar Niemeyer no conselho é a 001.”

Francisco de Assis, diretor da Casa do Cantador, em Ceilândia – “Boa parte dos candangos que construíram Brasília vieram para Ceilândia. Até a construção da Torre Digital, a Casa do Cantador era a única obra do Niemeyer fora do Plano Piloto. Ninguém melhor do que ele para construir uma obra tão significativa. Dificilmente, a Casa do Cantador tem uma atividade em que algum repentista não fale o nome dele. Niemeyer sempre é tema.”

Igor Normando, ex-Vice-presidente dos Estudantes do Pará e ex-Diretor da UNE. Vereador eleito de Belém (PHS) – “O Brasil perde um grande cidadão, Oscar Niemeyer deixou um legado de esperança e igualdade. Vá em paz, camarada!”

Pedro Tobias, Deputado Estadual de São Paulo (PSDB/SP) – “Lamento profundamente a morte de Oscar Niemeyer, ícone da arquitetura moderna e um dos brasileiros mais reconhecidos do mundo. As mais de 500 obras assinadas por Niemeyer fazem parte da história do Brasil e do mundo ! Que patriota centenário !”

Inácio Arruda, senador – “Comunista, arquiteto, culto, popular, louco pelo Brasil e seu povo. Todas as honras a Oscar Niemeyer!”

Chico Lopes, deputado federal – “Niemeyer foi uma figura inquieta, interessante e inspiradora. Verdadeiras características de um comunista.”

Aldo Rebelo, ministro do Esporte, via Twitter – “Niemeyer sai de cena e leva consigo um pedaço do humanismo, ousadia e inteligência deste mundo velho sem porteira.”

William Bonner, jornalista, via Twitter – “Brubeck e Niemeyer num intervalo de horas… Não me parece que o mundo esteja esteja em condições de perder o brilho de gênios nesse ritmo.”

info_niemeyer

 

Fonte: http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2012/12/veja-repercussao-da-morte-de-oscar-niemeyer05122012.html

Anna Motzko

Anúncios

Comentaí :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s