22 anos da Reunificação Alemã – a festa é lá e aqui também!

A estátua do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, foi iluminada nesta quarta-feira com as cores da bandeira alemã, em homenagem ao 22º aniversário da reunificação do país europeu. Às 18h15, a tradicional iluminação branca foi trocada pelas cores vermelha, amarela e negra da bandeira alemã.

Os braços e a cabeça da estátua ficaram negras, seu tronco foi iluminado pelo vermelho e a base do Cristo ficou amarela. A iluminação da estátua é feita desde o ano passado pela multinacional alemã Osram, que altera as cores das lâmpadas LED em determinadas datas comemorativas.

A reunificação, ocorrida em 3 de outubro de 1990, concluiu o processo de reconciliação entre a República Federal da Alemanha (Alemanha) e a República Democrática Alemã (RDA), que começou um ano antes com a queda do muro de Berlim.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI6200683-EI8139,00-RJ+Cristo+Redentor+e+iluminado+com+as+cores+da+bandeira+alema.html

Anna Motzko

As últimas horas de Hitler – aos interessados, como eu!

Lembrando do meu namorado na sessão de DVDs das Lojas Americanas [rs], decidi escrever um pouquinho sobre um filme que “sim, amor.. eu já assisti!”, e que me chocou bastante em minha adolescência: A Queda – As últimas horas de Hitler (ou Der Untergang, aos estudantes de alemão de plantão!).

O filme é alemão e estreou em 2004 (já está em DVD, à venda e para locação há um tempão!). Eu tive o prazer de assisti-lo quando estava no 2º ano do Ensino Médio, época em que os professores costumavam nos encher de filmes bobos, com o intuito de passar o tempo e não ter que lecionar. Mal sabiam eles que justamente esse filme instigaria o meu interesse por tudo o que se refere à 2ª Guerra, ao Führer, à Alemanha/Áustria e derivados.

É forte. É possível se sentir parte do filme, sabe? E eu tenho paixão por filmes assim. Admiro seus diretores, atores e todos os envolvidos.

Resumidamente – me recuso contar muita coisa, já que a intenção é que o assistam e sintam o mesmo que senti -, o filme mostra os últimos dias da vida de Adolf Hitler, ditador nazista, o responsável (entre outros) pela morte de seis milhões de judeus em campos de concentração, e as suas decisões nesses momentos.

O alto comando nazista se sente encurralado com a chegada das tropas soviéticas e,  a partir desse sentimento, a loucura passa a imperar em Berlim e no bunker subterrâneo onde Hitler e sua família está alojada. Lá, junto de seus principais assessores, planeja ações de terror, mesmo sabendo que a derrota está cada vez mais próxima. As loucuras de Hitler envolvem desde sua própria família até sua secretária particular, Traudl Junge.

O filme acaba por mostrar um lado da personalidade de Führer dificilmente visto – seu medo, seu lado talvez sentimental e humano, seu cuidado com a família e até o carinho pela cachorra de estimação. Tudo isso sem deixar de lado toda a escuridão da guerra e o que ela trazia ao povo alemão.

No desenrolar, vai ficar bem clara a visão que o povo, os ‘chegados’ do todo poderoso, a família e todos mais tinham do regime nazista e de seu comandante mor. É isso o que eu acho mais interessante!

O restante eu deixo por conta de sua própria mente e de seus próprios olhos.

Recomendo, sem sombra de dúvidas. Fiquem com algumas cenas bem bacanas – as que eu mais gostei, é claro! E o trailer 🙂

Abraços, Anna Motzko

http://www.youtube.com/watch?v=gyx17Z5mjvg