Sobre coisas que valem a pena: The Piano Guys

Depois de tanto tempo sem postar, eu tinha mesmo é que voltar com coisa boa.

The Piano Guys, conhecem?

Até ontem, eu nunca tinha ouvido falar. E agora descobri que os caras são fenômenos no YouTube! Pode isso? Descobri em quanto passeava pela FNAC, na Avenida Paulista.

O som é diferente, é delicioso e atraente.

Cinco homens e um piano. Muitas mãos, muitos sons, um deslumbre!

Os caras tocam sucessos como Somewhere Over The Rainbow [cláaaassica!] e What Makes You Beautiful, do One Direction, com uma leveza que é de se admirar.

Vale a pena conferir 🙂

Abraços,

Anna Motzko

Momento 80’s: Rick Astley

Esse post pode parecer sem sentido ou até bizarro, mas eu precisava dividir a minha febre com alguém. Quem me conhece já sabe: não sou nada moderna no que diz respeito à música. Nada moderna MES-MO! Sou simplesmente apaixonada por música antigonas, da época em que não sabia nem balbuciar e de épocas mais passadas ainda – de quando eu nem pensava em existir.

Pois bem. Vem aí a parte super bizarra da coisa. Após uma tarde tentando vencer o namorado no Just Dance 4, no PlayStation 3, dei de cara com uma música que sempre mexeu comigo quando começava a tocar em rádios como a Alpha FM [Sim! Eu escuto a Alpha e adoro!]. Me acabei!

“Never gonna give you up, never gonna let you down, never gonna run around and desert you!”. Uau! Muito amor e muita melodia pra uma só canção.

A verdade é que eu nem tinha ideia de quem a cantava. É aquele tipo de música que você vai ouvir a vida inteira sem saber quem canta, qual o nome dela e embromando na maioria das partes! Hahahahaha!

Fui atrás de saber quem é o tal Rick Astley, que emplacou com o hit que ficou no meu ouvido, Never gonna give you up, quando tinha apenas 21 anos de idade, podem crer? Ele surgiu por volta de 1985 – nasci 4 anos depois! O single foi o mais vendido no Reino Unido naquele ano e Rick foi o segundo cantor mais jovem do Reino Unido a emplacar um single de estréia em primeiro lugar. O primeiro a conseguir tal feito foi George Michael aos 20 anos, em 1984, com “Careless Whisper” [segundo a Wikipedia].

Rick Astley, aos 21 anos.

De lá pra cá, veio lançando outros álbuns e contagiando a galera com seu estilo todo dançante – não que sua dança seja de arrasar, mas até que é bem charmosinho nos passos.

Em 2008, foi indicado pela primeira vez ao EMA (Europe Music Awards) para o prêmio Best Act Ever e VENCEU! E, só pra ter uma ideia de como os hits são daquele tipo que fica na cabeça e na ponta da língua, hoje tá aí, rolando no joguinho dos videogames mais modernos.

Image

É isso. Acho que sempre é bacana conhecermos coisas boas das épocas que passaram. Resgatá-las também é de grande utilidade para o momento em que vivemos, momento carente de músicas com conteúdo e excedendo em “lek leks” e “tchererês”.

Deixo o vídeo de Never gonna give you up, pra ver se ele contagia mais alguém além de mim. 😉


Um ótimo sábado!

Anna Motzko