Retrospectiva de um ano surpreendente

Se 2016 não acabasse hoje…

Eu ainda assim estaria feliz. E me sentiria infinitamente grata. Pode parecer boba essa visão cheia de positividade, mas, ao balancear todos os acontecimentos, vi que os aprendizados e as alegrias foram em número incomparável aos acontecimentos não-tão-bons-assim.

Eu me casei! Caramba.. Ainda fico meio em choque quando penso em algo tão grandioso. Casei e tenho minha própria casa. Aprendi a cozinhar (errando), a limpar (errando) e cuidar de minhas coisas (e de um marido também!). Aprendi a conviver com alguém totalmente diferente de mim, debaixo do mesmo teto. E não é que deu certo?

Passei a sentir saudades da minha família todos os dias. E hoje sinto, mais do que sempre, que o amor que sinto por ela transborda de mim.

Criei plantas. 18, pra ser mais específica. Hoje tenho 15. Acho que sou uma boa mãe, afinal. E comprei uma peixinha (nossa filhinha amarela) – forte, saudável e deixa até fazermos carinho nela (pensa que nossos dedos também são comida!).

Vivi intensamente o segundo e último ano do mestrado. Li como nunca tinha lido na vida toda! Aprendi, escrevi, fiz experimentos, escrevi, conheci gente e escrevi mais um pouco. Mais uma vez, fui e sou grata por tantos anos estudando inglês. Fortaleci amizades e fiz novos contatos extremamente importantes para o meu futuro – além de lecionar na graduação pela primeira vez, com uma aula montada por mim (por mim!) do início ao fim.

Comecei as aulas particulares de alemão. Juro que esperava ter me dedicado mais, mas, como sempre, quero aprender alemão e muuuuitas coisas mais ao longo de todo o dia – agradeço a minha Deutschlehrerin por toda a paciência.

E comecei a academia – junto com a zumba, a yoga, o jump e tudo o mais que pude começar junto. Tô firme – juro! Ainda não são cinco dias na semana, mas também não tô no zero.

Fui convidada a servir a Deus pela música. Um convite especial, de pessoas especiais. E não há como ver como um acaso. Tinha que ser. É um dos meus maiores e mais sinceros agradecimentos do ano: por nos unirmos mais e por, no fim de tudo, estarmos em número maior, como sempre foi e sempre tem que ser.

O Pingo ficou dodói. E eu tive muito medo de perdê-lo. Mas o bichinho é forte e tá aí, comendo mais que todos nós juntos e trazendo sempre muita alegria. Ah! 2016 também nos trouxe a Maria pretinha, uma gatinha tirada da chuva e que conquistou o coração de todos nós.

A vida acadêmica me trouxe alguém que posso, sem dúvida, chamar de amiga. Com “quase nada” em comum, tornou-se parceira. Vi um outro mega parceiro realizar o sonho de estudar no exterior, e o vi ir, me deixando com um nó na garganta e o coração apertado, mas na torcida de que tudo dará certo e de que será um sucesso em tudo o que decidir fazer por lá.

Conheci Fortaleza e Salvador. E decidi que, se um dia for pra fora de São Paulo, quero morar onde o sol brilhe dia e noite (rs).

No saldo de leituras, fiquei com 2. Li só 2 livros. Ambos sobre cães. Já entrei no terceiro – sobre cães também. Gatos, me perdoem!

E é óbvio que tive momentos tristes. Deeeer! Mas não há motivo pra pensar neles hoje. O tempo nos ajuda a conviver com o que quer que seja, demore isso o quanto demorar. Já não tento mais entender o porquê das coisas – obrigada a 2016 por me ensinar isso. Apenas vivo. Ainda planejo o dia de amanhã, mas sem me decepcionar tanto caso o amanhã não seja do meu agrado.

2016: saldo absolutamente positivo. Obrigada a todos que tornaram meu ano mais bonito. Espero ter ajudado a tornar muitos anos mais bonitos também – caso não, vem aí mais um ano pra tentar ser melhor.

Saúde, paz, paciência, amor e sucesso a todos nós! Que nosso grandioso Deus nos proteja de todo o mal, amém!

 

Anúncios

Mais de um ano depois… MINHA PRIMEIRA TATTOO!

O que essa vida louca não faz com a gente, né? O último post é de mais de um ano atrás. Nesse ano que passou, vivi MUITAS e BOAS. Por ter sido meu primeiro ano no Mestrado, mil coisas aconteceram e eu não dei conta de manter o blog em dia. Ok.. Tô de volta!

E voltei com A NOTÍCIA!

Sou uma mulher TA-TU-A-DA! Uaaaaau!

12977248_1010425128993798_7337180420298561172_o

À esquerda: eu! À direita, minha irmã 🙂

Há tempos que eu vinha vendo desenhos na internet, olhando com outros olhos pras tattoos alheias… Mas o medinho (que não era tão ‘inho’ assim!) sempre ganhava. Medo da dor. Medo de me arrepender do desenho, não gostar e ter que ficar com aquilo pra sempre.

Até que eu encontrei o tal desenho – aquele que conquista, aquele que você sabe que não vai enjoar de olhar todo dia. E o desenho escolhido tem um significado todo especial pra mim. Quis retratar meus dois amores: meu au-au, Pingo, e a minha gatinha, Marie.

E eu não enfrentei essa doideira sozinha, não! Levei a mana junto, que fez o mesmo desenho – já que os bichinhos são nossos, né?

Foi show! Simples assim! O tatuador, Presunto Guarnieri, do estúdio DW Tattoo (aqui em São Bernardo do Campo, onde moro), foi muuuuuito legal com a gente. Estávamos com aquele friozinho na barriga, por sermos principiantes na rabisqueira, e ele nos deixou bem tranquilas. Explicou passo-a-passo de tudo o que estava fazendo e ainda se dispôs a fazer uma tattoo super-mega-fofa como essa mesmo não sendo tanto o seu estilo – imensamente grata e satisfeita!

Partindo, então, da pequena experiência que tenho agora, posso falar um pouco sobre como é SER TATUADA.

Quando eu queria fazer e olhava várias matérias na internet pra tentar perder o medo, nunca funcionou. Eu sempre acabava deixando pra lá. Muita coisa que a gente lê e vê por aí não têm nada a ver com a realidade, sério. A real é que cada um tem sua sensibilidade – o que é dor para alguns, não é para os outros. Sobre a minha tattoo, posso dizer que foi bem tranquilo. Dá uma pequena aflição por ser uma sensação inédita, sabem? Mas nada-nada-nada perto de ser insuportável (depilação com cera quente dói demais e não é parâmetro para o que se sente na tattoo!).

Uma dica? Vá a estúdios indicados por pessoas que você confia. Foi o que fiz. Até que você faça a primeira, não dá pra ter alguém de confiança. Pesquisa, converse com pessoas mais experientes… É uma coisa bastante séria e tem que ser bem pensada antes de botar em prática.

Outra dica: não se deixe levar pelos desenhos da moda. Corujas, personagens e tal.. Uma hora a moda passa, mas a tatuagem é pra sempre.

Por último: leve uma companhia. Minha irmã foi demais – mesmo que tenha tirado fotos do medo estampado na minha cara e dado altas risadas! Kkkkkk!

7281bee7-9e62-4c34-a56a-323beeacd62e

Eu, toda corajosa! kkkkkk

5437dae1-c3d6-4376-90a2-552d30f38de2

Minha irmã, com uma cara um pouquinho mais corajosa que a minha! kkkkk

Bom, é isso! Tô super feliz pela tattoo, por ter tido coragem e por conseguir um tempinho de dividir a experiência aqui no blog 🙂

Muitos beijos,

Anna Motzko

 

 

 

Um domingo e um filme inspirador

Depois de quase cinco anos da estreia, me rendi a Comer, Rezar e Amar. Não havia assistido por falta de oportunidade mesmo – coisa que estou me permitindo agora 🙂

É incrível como alguns dilemas que já estudei podem mesmo acontecer na minha própria vida. A arte imita a vida? Ou seria o contrário? Pois o filme [apaixonante!] foi como uma gravação do meu estado de espírito atual e de tudo o que eu passei pra chegar até aqui, fazendo com que eu me tornasse fã do longa logo de cara.

Não pretendo me alongar muito nos comentários sobre o filme, até porque acredito que meio mundo já assistiu (se eu conseguir te deixar curioso, não perca tempo!), mas, sim, naquilo que pode ser o grande dilema da vida de muita gente.

Manter-se acomodado ou mudar radicalmente? Se optar por ficar onde está, até onde perde e até onde ganha? E se decidir pela mudança, como deixar de lado os medos, inseguranças? Como dar o primeiro passo sem saber o que me espera? E até que ponto seguir os padrões é estar seguro?

Não precisei me divorciar, passar um tempo em Roma, meditar na Índia e conhecer um grande amor em Bali para sentir que era tempo de sacudir a poeira. Durante um tempo [tempo longo, diga-se de passagem] eu tive uma vida todo-dia-igual. Ai, como era chato! Da casa pro trabalho, do trabalho pra faculdade. Sempre procurando o que me fizesse sair dessa rotina, porém era tudo momentâneo, sabe? Uma viagem… Um corte de cabelo… Compras no shopping. E a semana começava outra vez. TODO-DIA-IGUAL. Decidi, então, mudar de emprego. E o mundo nunca viu tantos currículos meus! Só Jesus na causa.. Porém nada aparecia. Quando aparecia e até quando dava certo, eu não me sentia segura para largar os meus dias todos iguais para aquela coisa nova.

A verdade? Eu não estava atrás da mudança. Eu estava fugindo da minha rotina, mas sem foco, sem saber pra onde ir, sem coração envolvido, entende? Que pavor! Cheguei a pensar que terminaria minha faculdade e ficaria olhando para o nada, com um diploma na mão.

A aflição de estendeu até o dia em que eu me permiti ‘meditar na Índia’. Sim… Silenciei a minha mente. Decidi dar uma pausa na minha fuga e ouvir o que vinha de dentro. Tentei encontrar a resposta para “o que eu estou querendo?”.

E não é que deu certo? Pensei no que estava fazendo, no que estava buscando… E vi que já era hora de encontrar aquilo que me faria feliz todos os dias, aquilo que me deixaria cheia de vontade de levantar da cama e enfrentar, e ver acontecer.

Não foi fácil. Pensei que não fosse capaz. Medo – ah, o medo. Medo de que achassem um absurdo largar o certo pelo duvidoso (como muitos dizem!). Não tive a sorte de encontrar Ketut [rs], mas fiz planos e decidi fazer dar certo.

Deu certo! Hoje, suspeito que meu ano vai ser de um jeito, mas não tenho certeza de absolutamente nada. Quero e farei de tudo para que continue saindo tudo conforme o desenho dos meus sonhos.

E o que aprendi com tudo isso? Que não há sensação melhor que ter a recompensa pela sua luta. Que ver um sonho se tornar real é coisa de outro mundo. E que ouvir a tal ‘voz interior’ ajuda e MUITO!

Assim, recomendo o filme e as aventuras da vida. Não ter certeza do dia de amanhã pode ser muito, muito excitante!

Beijos e abraços,
Anna Motzko

2015, tô chegando!!!

Ufa! Tá acabando mesmo?

QUE SAUDADE que eu estava disso aqui! Abandonar a escrita por tanto tempo não foi nada fácil, maaaaas… Atendendo às minhas próprias necessidades (eu amo isso aqui DE VERDADE!) e alguns outros pedidos carinhosos, prometo dar o meu melhor em 2015 e manter esse humilde caderninho sempre atualizado.

Sobre 2014: larguei quase tudo por uma vontade grande. Decidi ser mestre e, para ser mestre, deve-se entrar no mestrado. Pois bem! Minha ausência está justificada. Hoje sou mestranda da Universidade Federal do ABC – mal conseguindo conter a felicidade dentro do peito! Larguei meu emprego (no qual estive durante 5 anos!) pra me entregar de corpo e alma à esse sonho. Bora lá!

Que 2015 venha com tanta força quanto 2014. Olho pra trás e vejo que as alegrias se sobrepõe facilmente sobre os momentos tristes e/ou difíceis. Desses últimos, tirei o melhor aprendizado, com certeza.

Desejo à humanidade um pouco mais de humanidade. Mais amor e apreço pelo cara ao lado, mais respeito e mais bom senso nas atitudes.

Deus abençoe esse mundão que gira e muda todo dia.

Felicidades, saúde e paz a todos!

feliz-ano-novo-400x300

Grande abraço,

Anna Motzko

Um pedacinho do Rio no Grande ABC

Quando a gente pensa que nossa cidade já ficou pequena e que não temos mais nada de novo para conhecer, eis que o noivinho encontra um lugar interessante. 🙂

E não é que esse cantinho conquistou o nosso coração?

O BOTEQUIM CARIOCA, que fica na Rua Santo André, 524, em Santo André, é literalmente um pedacinho do querido Rio de Janeiro no Grande ABC. Que delícia de lugar!

Aconchegante e com uma equipe pra lá de simpática, o botequim oferece pratos tipicamente cariocas, agradando dos paladares simples até os mais requintados. A Batata Maravilha é aaaaltamente indicada! E a caipisaquê de kiwi com frutas vermelhas, então…!

Batata Maravilha [Fonte: Página do Botequim no Facebook]

Batata Maravilha [Fonte: Página do Botequim no Facebook]

Além do cardápio impecável, você ainda ouve música ao vivo da melhor qualidade e usufrui de um ambiente que faz com que se sinta REALMENTE no Rio de Janeiro!

Já fazia tempo que eu queria deixar essa dica pra vocês, e aí está.

O botequim funciona de terça à sexta-feira, das 16h às 23h, e aos sábados, das 12h às 23h.

Como diz a frase estampada na parede do botequim, “há bares que vem para o bem”!

Fotos de alguns momentos que já passamos lá:

Aniversário do noivo :)

Aniversário do noivo 🙂

 

Sobremesa que o noivinho ganhou do Botequim

Sobremesa que o noivinho ganhou do Botequim

Comemoração de 9 anos de namoro <3

Comemoração de 9 anos de namoro ❤

Abraços,

Anna Motzko

10.000 visitas!

Eu só tenho a agradecer a quem prestigia esse meu hobby e aos que insistem pra que eu não pare.

Nos últimos tempos, não tá fácil, não.

Mas darei meu melhor pra manter um compromisso que assumi comigo mesma – não abandonar as coisas que me fazem bem por falta de tempo! – e com aqueles que gostam das simples palavras que escrevo aqui.

Abraços mil,

Anna Motzko

 

Da série “Me pegou de surpresa e me fez chorar”: O PEDIDO DE CASAMENTO!

Esse post não tem a finalidade de acrescentar conteúdo à vida de ninguém, mas sim de dividir um sentimento tão bom e tão bonito que mal cabe no meu coraçãozinho 🙂

Yes! Depois de quase nove anos de namoro, euzinha aqui ALVO de uma surpresa linda!

Quarta-feira, cinco de fevereiro de 2014, colação de grau do curso de Engenharia. O namorado está oficialmente FORMADO!

Após três horas e meia de cerimônia, com o coração cheio de orgulho daquele homem de beca e todo sorridente, eis que ele me prega uma peça. Hahahahaha! É engraçado definir assim, mas foi assim mesmo.

Claro que fui a última a saber, né? E só soube mesmo quando vi que alguém me filmava enquanto eu lia uma inocente mensagem que havia dentro do canudo do diploma do namorado…!

Sim, mulheres deste Brasil! Ainda existem homens criativos e apaixonados nesse mundo – e, sinto dizer, um deles é MEEEEEU!

Com direito a joelho no chão e caixinha de aliança aberta [aquela típica cena de filme ou novela, que nos faz suspirar e tudo mais, e que nunca pensamos que, um dia, pode acontecer com a gente!]. Fui pedida em casamento no maior estilo e da maneira mais tradicional. “Quer casar comigo?”, ele disse. E eu simplesmente afirmei com a cabeça, pois o rio de lágrimas e a tremedeira não me permitiram mais que isso.

E o que quero dizer, afinal?

Quero dizer que sou uma mulher realizada e feliz. Que quero namorar pra sempre com esse homem maravilhoso. Que, apesar de eu não facilitar as coisas, ele me surpreendeu.

E que o amor verdadeiro existe.

Por favor, mundo! Não desista de amar.

Mas ame com todo o seu coração, com tudo o que você tem de bom e de melhor. Ame não só o homem da sua vida, mas ame a sua família, ame seu cachorro, seus amigos [os que moram ao seu lado e os que estão láaaaa longe!], ame seu trabalho, seus estudos, sua paz.

Agradeço a todos os queridos que fizeram parte dessa surpresa linda pra mim. Ainda me emociono quando lembro de cada uma das cenas.. rsrs

Amor, EU TE AMO! Ser sua noiva é simplesmente tudo o que eu queria!

Beijos,

Anna Motzko

Família utiliza internet para salvar filha com leucemia rara

FAMÍLIA BRITÂNICA BUSCA PELA INTERNET DOADOR PARA FILHA COM LEUCEMIA RARA

BBC Brasil, 29/01/2014

A família de uma menina de um ano e meio que sofre de um caso raro de leucemia lançou na internet uma campanha para buscar um doador de medula óssea.

Até agora mais de 30 mil pessoas em todo o mundo responderam ao apelo, lançado no You Tube, Facebook e Twitter, e requisitaram kits de raspagem da parede interna da bochecha para testar se estão aptas a fazer a doação.

Margot Martini foi diagnosticada em outubro do ano passado com uma combinação rara das leucemias linfoide e mieloide agudas.

Desde então ela está internada no hospital infantil Great Ormand Street, em Londres, e já passou por três ciclos de quimioterapia.

Mas seus médicos, que dizem ter visto apenas três casos deste tipo de tumor nos últimos dez anos, dizem que ela precisa mesmo é de um transplante de medula.

Os pais e os dois irmãos de Margot foram submetidos ao exame de Antígenos Leucocitários Humanos, mas nenhum deles saiu como doador compatível.

“É difícil porque ao menos nove antígenos devem ser compatíveis e Margot tem um que é muito difícil de encontrar”, disse o pai da menina, Yaser Matini, ao jornal londrino Evening Standard.

Registro de doadores

Diante dos resultados decepcionantes, Yaser decidiu lançar um apelo global em busca de um doador para filha por meio de um vídeo que produziu e lançou no You Tube.

O vídeo já teve mais de 74 mil acessos e a campanha ganhou apoio de atores britânicos famosos, como Stephen Fry.

“Desde então estou a todo vapor. Eu fico de pé até meus olhos fecharem às quatro da manhã e não paro de pensar: será que estou fazendo tudo o que posso?”

Yaser acredita que a maneira como hospitais fazem as buscas nos registros de doadores internacionais é “arcaica”.

“Em muitos países apenas seis antígenos são analisados. Chegaram a nos dizer que três brasileiros seriam doadores potenciais. Mas quando eles vieram para testar os dez antígenos, não deu certo.”

Ele afirma que nunca havia pensado em procurar doadores antes.

“Você não considera até o câncer te afetar. Por favor, por Margot e por todas as pessoas que têm câncer. Registre-se como doador, faça raspagem e salve uma vida”, apela o pai.

Fonte: http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/bbc/2014/01/29/familia-britanica-busca-pela-internet-doador-para-filha-com-leucemia-rara.htm

Vejam o vídeo feito pela família de Margo:

http://youtu.be/2-Y71G4JIR0

Anna Motzko

Quem é você HOJE? – “Todo dia”, de David Levithan

Terminei a leitura de uma obra incrível que ganhei de dois grandes amigos. E já sinto saudade da história que vivi durante cinco dias com ela. Quero muito compartilhar com você, queridos leitores…

Todo Dia (Six Earlier Days), escrito por David Levithan, é um livro pra viajar, chorar, torcer, esbravejar… E é uma história sobre a qual, ao fim, pode se chegar às mais diversas e reais conclusões.

Capa da edição nacional

Capa da edição nacional

O protagonista é A. Sim, A é o nome dele. Ou dela. Não importa. Não importa também se ele é um ser de outro mundo, um espírito ou uma assombração. A é, simplesmente, especial.

Especial porque acorda todos os dias em um corpo diferente. Pensa nisso! Você está em um corpo feminino, perfumado, utilizando um belo pijama florido. Deita para dormir e, ao acordar, é um garoto roqueiro, vestindo uma camiseta do Metallica e não tem o hábito saudável de tomar banhos. Meu Deus! Isso não é normal. Ou é?

O que é normal? Viver todos os dias do mesmo jeito, sem sequer reparar naquela ruguinha que apareceu no canto do olho, ou acordar diferente todos os dias e ter olhos que conseguem enxergar até uma marquinha de nascença?

A vive assim, e não se incomoda. Sua trajetória pelo mundo não é considerada esquisita até acordar no corpo de Justin, namorado da linda e simpática Rhiannon. A partir de então, a vida que se resumia a simplesmente ter que se adaptar a um novo corpo todos os dias passa a ter um objetivo a mais – adaptar-se aos corpos diferentes, porém mantendo o mesmo relacionamento com Rhiannon.

Dá pra imaginar como seria isso?

E dá pra ter ideia da opinião dela a respeito dessa situação toda?

Como gostar de alguém que é um belo homem hoje e, amanhã, será uma garota depressiva, prestes a cometer um suicídio? E como se apaixonar por alguém que tem todo o talento do mundo pra seguir carreira de modelo fotográfico e que, depois que acorda, passa a ser um garoto nada preocupado com a aparência, pesando 150 quilos?

E os corpos “possuídos” por A, como ficam?

Uma obra que, em menos de trezentas páginas, faz com que nos questionemos sobre o modo como enxergamos o tempo e as pessoas que vivem esse tempo com a gente, além de nos mostrar as vantagens e desvantagens de deixarmos de ser quem somos para que o mundo nos enxergue de outra forma.

Recomendo a leitura – me senti realmente em outro corpo durante esses cinco dias! – e agradeço, de coração, o lindo presente!

Abraços,

Anna Motzko

Para lambiscar e beber um bom INGLÊS! – “Little Igloo”

E aí, galera?

Hey, everybody! 

Feliz Ano Novo 🙂 Felicidade, amor e paz!

Happy New Year 🙂 Happiness, love and peace!

Esse é o primeiro post do ano – bilíngue! E ‘O mundo girando’ vem com uma ótima ideia para pessoas que curtem beber com os amigos, aproveitar um bairro tranquilo e… PRATICAR INGLÊS!

This is the first post of the year – in two languages!. And ‘O mundo girando’ comes with a very very good idea for people who like drinking with friends, enjoying a calm neighborhood and.. PRACTICING ENGLISH!

Sim! Praticar inglês é possível e pode ser bem prazeroso em Santo André, pertinho da gente!

Yes! Practicing English is possible and can be very pleasant in Santo Andre, close to us.

LITTLE IGLOO, um bar inglês para bate papo, é uma ideia de Rusty Russel, canadense e proprietário do local.

LITTLE IGLOO, an English Chat Bar, is an idea of Rusty Russel, a canadian guy, the owner.

Créditos: página do Little Igloo, no Facebook.

Créditos: página do Little Igloo, no Facebook.

Ontem, meu namorado e eu visitamos o lugar e, agora, acreditamos que temos que indicar pra todo mundo que gosta de língua e de uma boa conversa.

Yesterday, my boyfriend and I visited the place and, now, we think we have to indicate it for everybody who likes languages and a good chat. 

Não se preocupe com erros que você pode cometer ao falar. A ideia é conversar com os amigos, com o Russel (uma pessoa super simpática!), ouvir uma boa música e ter um ótimo momento 🙂

Don’t worry about making mistakes. The idea is talking with your friends, talking with Russel (a very friendly person!), listening to great songs and having a good time 🙂

Meu namorado, Vanderson, que estudou inglês por um bom tempo, amou as horas que passamos lá. Vejam só o depoimento dele:

My boyfriend, Vanderson, who studied English for a long time, loved the hours we stayed there. Look at the testimony from him:

“Nunca tinha ouvido falar no Little Igloo. Foi algo da noite para o dia e o barzinho simplesmente “surgiu” ao longo do  trajeto que faço diariamente. Desta forma, fomos justamente pela curiosidade de um ”English Chat Bar”, algo pra mim inédito, e nos deparamos com um barzinho simples e super aconchegante, tanto pelo lugar quanto pelo Rusty, que é super gente boa e atencioso. Recomendo a todos que desejam ter contato com o inglês, bebendo uma bebida bem gelada.”

“I’ve never heard about the Little Igloo. It has just appeared along the way that I use every day. So, we have gone there because the curiosity that the “English chat bar” had offered to me and it was simply amazing, because it’s a simply bar, but very cozy, not just for the place itself, but also for Rusty, who is very kind and atenttive. I recommend Little Igloo for everyone who wants to practice his English drinking a beverage.”

O bar fica na Rua Santo Andre, 283, em Santo Andre.O telefone é 9.8318-7338.

The bar is located on Santo Andre Street, 283, in Santo Andre. The phone number is 9.8318-7338.

Obrigada, Rusty, pela oportunidade! Sucesso! Vemos você em breve!

Thanks, Rusty, for the opportunity! Success! See you soon!

Anna Motzko